Conecte-se conosco

Saúde

Rio Grande do Sul lidera ranking de vacinação contra a pólio

Publicado em

em

Nesta campanha, que se realiza até o dia 9 de setembro, RS já vacinou 25% das crianças de 1 a 4 anos.

O Rio Grande do Sul é o Estado com melhor adesão até o momento na vacinação contra a pólio. Com as cercas de 100 mil doses aplicadas no último sábado, Dia D da campanha, o Estado já vacinou 25% das crianças de 1 a 4 anos. Isso representa 137 mil crianças. A média nacional é 16% de cobertura. A campanha vai até 9 de setembro. A meta é, até lá, vacinar 95% do público alvo.

Junto à campanha da pólio, acontece a multivacinação para todas crianças e adolescentes menores de 15 anos. O objetivo da estratégia é colocar em dia as doses do calendário básico que estejam em atraso. Por isso, quem for ao posto de saúde deve levar sua caderneta de vacinação para que a avaliação possa ser realizada pela equipe de saúde.

As vacinas utilizadas na campanha são as mesmas disponibilizadas na rotina dos serviços de vacinação, ao longo de todo o ano. Além delas, conforme disponibilidade e organização, os municípios podem ofertar ou orientar as demais vacinas específicas de campanhas, como a da covid-19 e da gripe (influenza).

Fonte: https://www.grupochiru.com/noticias/rio-grande-do-sul-lidera-ranking-de-vacinacao-contra-a-polio/

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

GOVERNO INTENSIFICA MONITORAMENTO DA COVID-19 APÓS IDENTIFICAÇÃO DE DUAS SUBVARIANTES COM ALTA POSSIBILIDADE DE TRANSMISSÃO

Publicado em

em

O Gabinete de Crise, que trata da covid-19, demonstrou preocupação após a identificação de duas subvariantes do coronavírus com alta possibilidade de transmissão, a BQ.1 e BE.9, mas não verificou necessidade de emitir avisos ou alertas. O Grupo de Trabalho, coordenado pelo governador Ranolfo Vieira Júnior, se reuniu na tarde desta quarta-feira (23/11).

Conforme dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES), os números de casos positivos, acumulados em sete dias, triplicaram no RS, passando de um pouco mais de 1 mil, no início de novembro, para os atuais 4,6 mil. As internações clínicas aumentaram de 78 para 181, e nas UTIs a elevação de internações foi menor, de 20 para 36 casos. Os óbitos não apresentam elevação significativa.

“O momento é de atenção, visto que os casos confirmados triplicaram e os internados em leitos clínicos com covid mais do que dobraram no último mês. Entretanto, não foram emitidos avisos porque que os números ainda se mostram aquém de outros momentos da pandemia. Se replicarmos as taxas de internações de outros países que tiveram a incidência da BQ.1, não veremos picos semelhantes ao que tivemos em 2020 e 2021. Mas manteremos o monitoramento caso a perspectiva se altere”, afirmou o diretor do Departamento de Economia e Estatística (DEE) da Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), Pedro Zuanazzi.

As recomendações das autoridades sanitárias são de estar em dia com a vacina e manter os cuidados e medidas não-farmacológicas, como uso de máscara em caso de sintomas gripais, álcool gel para higienizar as mãos, entre outros. “Vamos seguir divulgando a necessidade de se estar com o ciclo vacinal completo para combater a covid-19. Essa é a principal medida para reduzir as contaminações e efeitos da pandemia”, ressaltou a secretária adjunta da SES, Ana Costa.

Em razão das novas subvariantes e do aumento de casos no país, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu pela obrigatoriedade do uso de máscaras em aeroportos e aviões. O governo do RS, por meio da SES, emitirá uma nota técnica sobre o assunto.

-In Foco RS

Continue lendo

Geral

COM COVID-19 EM ALTA, SECRETARIA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE RECOMENDA USO DE MÁSCARA

Publicado em

em

A Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde voltou a recomendar, neste domingo (13), a utilização de máscaras devido ao avanço da Covid-19, principalmente pela circulação da sublinhagem BQ.1.

Na semana epidemiológica entre 6 e 11 de novembro, foram notificados 57.825 casos e 314 mortes causadas pelo coronavírus. A média móvel dos últimos sete dias ficou em 8.448 diagnósticos diários, representando um aumento de 120% em relação à semana anterior, com 3.834.

Já a média móvel de óbitos foi de 46, um acréscimo de 28% se comparado com a última semana, com 36.

A recomendação acontece principalmente para pessoas com fatores de risco para complicações da Covid-19, em especial imunossuprimidos, idosos, gestantes e pessoas com múltiplas comorbidades.

Bem como quem teve contato com infectados e indivíduos que estejam em situações de maior risco de contaminação, como em locais fechados e mal ventilados, locais com aglomeração e serviços de saúde.

Os casos suspeitos ou confirmados devem permanecer em isolamento.

São aconselhados ainda o esquema vacinal completo, com atenção às doses de reforço, e a lavagem das mãos com álcool 70% e água e sabão.

Fonte: CNN Brasil

Continue lendo

Geral

PACIENTE TOCA SAXOFONE DURANTE CIRURGIA NO CÉREBRO NA SANTA CASA DE PORTO ALEGRE

Publicado em

em

Na tarde desta segunda-feira (14), o agricultor e músico Vilson Saueressig, de 60 anos, de Candelária, foi submetido a um procedimento para a retirada de um tumor cerebral no Hospital São José, no complexo da Santa Casa de Porto Alegre. Durante o procedimento, ele se manteve desperto e tocou saxofone. A cirurgia foi liderada pelo neurocirurgião Marcelo Schuster.

De acordo com o médico, a técnica de cirurgia de tumor cerebral com o paciente acordado é útil em casos em que o tumor está localizado em regiões diretamente envolvidas com os mecanismos de linguagem como falar, entender situações, fazer cálculos, interpretar textos e contextos, além realizar funções específicas como tocar um instrumento musical.

“O paciente é submetido a testes neurológicos específicos durante a cirurgia e, com o auxílio da estimulação elétrica cerebral ou monitorização neurofisiológica intraoperatória, é possível conseguir mapear áreas cerebrais fundamentais que não podem ser ressecadas”, diz Schuster.

Apenas assim, “é possível retirar o máximo de tumor causando mínimo ou nenhum déficit neurológico permanente”, explica Schuster.

O médico destaca que o paciente não sente dor durante o procedimento. “O tecido cerebral em si não possui terminações nervosas, por isso conseguimos manipular o cérebro sem que o paciente sinta dor. A pele, osso e membranas que envolvem o cérebro, e que podem causar dor, recebem uma anestesia especifica”, ressalta o neurocirurgião.

De acordo com o hospital, a cirurgia transcorreu bem.

-G1

Continue lendo